Norte 1

A PJMP NO REGIONAL NORTE 1

 

A PJMP se faz presente também no regional Norte 1, onde desde 2004 começaram a acontecer as primeiras articulações tanto em Manaus quanto em Boa Vista.

O primeiro encontro de formação da PJMP em Manaus aconteceu nos dias 20 a 22/04/2007 (sexta a domingo), em Porto da Ilha, com os jovens da Área Missionária São Francisco.

Na sexta, houve Análise de conjuntura da juventude, com assessoria de Moisés Aragão. No sábado, foi abordada a História da PJMP, sua Metodologia e ação, com assessoria de Silvano Silveira. E no domingo, formação sobre Mística e Espiritualidade, Organização e Base, com assessoria do secretário nacional da PJMP Chiquinho.

Segundo a assessora Jô, o encontro foi muito bom, com apenas quatro meses de caminhada como PJMP em Manaus estiveram presentes 70 jovens, muito alegre e bem participativo. Todos saíram empolgados e com propósito de continuar a caminhada de luta e compromisso com a PJMP. A organização em Manaus conta atualmente com:

  • Coordenadores – Edenildes Matos, Eric, Elton
  • Secretaria – Alzianny, Suzane
  • Tesouraria – Suelen, Wittiny
  • Representante Cpp. – Fernando, Maderson
  • Representante Arquidiocese – Simone, Jonny
  • Representante Nacional – Jacson sena
  • Assessores – Jeoveci Figueiredo (Jô) (joternuraevigor@hotmail.com), Pe. Alberto Panichella, Antônio Gonçalves, Nete Souza, Moisés Aragão

Na periferia de Manaus foi realizada no dia 03 de agosto, das 8 às 16 horas na CEB Divino Espírito Santo, um grande Encontrão com os grupos e simpatizantes da PJMP para dar início à organização local para o III Congresso da PJMP. O objetivo é levar 100 jovens. Portanto neste Encontro foram verificados projetos, estratégias; isto é, foi planejada a caminhada rumo a Bom Jesus da Lapa em janeiro de 2009. Possivelmente em setembro a articulação será retomada a articulação com Roraima e iniciada em Belém do Pará através de uma visita a ambos. Hoje a PJMP é realidade em Manaus, isto em 30 anos de fé e vida no meio popular, amanhã será em todo o Norte, porque todos acreditam na força e na proposta libertadora da PJMP. Amém, axé, awerê, aleluia !

 Para qualquer articulação, entrar em contato com:

 Benedito Paulo de Albuquerque

Rua Antares, 209, Bairro Jardim Primavera – Boa Vista – CEP: 69.300-000

Estado: Roraima – E-mail: beneditopaulo@eln.gov.br, pjrr@ibest.com.br

Fones: (095) 9962-6068 / 2121-1134 / 3627-4601

 Simone da Silva Rodrigues

Rua Apocalipse, nº 101, Bairro N. Sra. de Fátima – Manaus – CEP: 69.099-004

Estado: Amazonas – E-mail: simone-jsp@yahoo.com.br, mone_pjbruxa@hotmail.com

Fone: (092) 9905-1270

 

 ************************************************************************************************************************

PASTORAL DA JUVENTUDE DO MEIO POPULAR – PJMP

 

ÁREA MISSIONÁRIA SÃO FRANCISCO – PERIFERIA NORTE – MANAUS – AM

 

“Ternura e Resistência, até as ultimas conseqüências”.

 

Reflexões e Proposições a cerca do processo de caminhada nacional da Pastoral de acordo com os pontos levantados na última reunião ampliada – 24 a 25/01 em Aparecida de Goiânia / GO; são estes:

 Qual é a nossa casa e onde está construída?

 Nossa casa é o meio popular, está construída na periferia Norte de Manaus e num futuro, não tão distante, a construiremos em outras zonas da cidade e municípios dos Estados de Amazonas e Roraima – Norte I. nossa casa é simples como uma maloca, nela moram jovens empobrecid@s, excluíd@s; todavia, acolhemos também jovens com condições melhores, mas que querem contribuir no processo de libertação de toda juventude. Aqui no Norte é muito quente e chove toda hora; portanto, nossa casa é forte, balança com o vento, mas não cai, pois desde 26 de novembro de 2006 estamos construindo-a numa base sólida, na qual o principal esteio (pau que sustenta a casa) se chama Jesus Cristo Libertador.

 O que nos move? Quais são nossas ações para construir nossa casa?

 A vida de Jesus pelo Reino de justiça e fraternidade, seus princípios ideológicos, utópicos, seus ensinamentos na pratica, sua oração na luta, sua postura de denuncia, amigo, equilibrado, militante revolucionário, socialista, seu exemplo de estar a serviço, de doação à causa – libertação de seu povo; isto, misturado a indignação pelo sofrimento e humilhação que o povo de Deus vive cotidianamente, é o que nos sustenta e nos move a humildemente nos colocar a serviço da construção de nossa casa.

 Nossas ações se dão desde o molde da base (grupos de jovens) da casa, numa formação continua na linha da educação popular e de Igreja Libertadora; distribuindo o serviço damos conta de está em outras construções representando a nossa casa (PJMP), assim, participamos da construção de outras casas (Movimento Fé e Política, Movimento Feminista, Pastoral da Solidariedade, CEBs, manifestações populares...); tudo isso sustentad@s por nossa espiritualidade libertadora e motivados pela festa, sinal de partilha e celebração por está construindo nossa casa – nossa Pastoral – Reino de Deus.

 Assessoria local e nacional

 O livro de Ato dos Apóstolos e as cartas de Paulo relatam o comportamento e missão dos discípulos e seguidores de Jesus. Missão que iniciou no Antigo Testamento com o anuncio e denuncias dos profetas, que fortaleceu e foi amadurecida com o nascimento e caminhada evangelizadora de Jesus, que continuou inspirada em Jesus com os apostol@s; isto porque, Cristo os ensinou, apontou-lhes o caminho para a salvação pessoal e de doação ao próximo. Portanto Jesus foi assessor, que através de parábolas não deu o peixe, mas ensinou seus discipul@s a pescarem, os preparou espiritualmente e pedagogicamente para a árdua missão de anunciar a boa noticia a todos os povos, para formar o novo homem e a nova mulher – uma nova sociedade, nem que para isso tenha que dar a vida como Jesus assim o fez.

 O/a Assessor/a não somente lança a semente ao chão, mas, sobretudo a rega com água limpa todos os dias, até que a mesma cresça, amadureça e dê frutos.   Partindo deste ponto vista compreendemos que a figura do/a Assessor/a é importantíssima no processo de formação da base (iniciantes) e dos quadros (militantes), pois somente com o cumprimento deste serviço o ciclo da pastoral é possível; isto é, surgimento de novos grupos, militantes, e uma forte vanguarda que por sua vez dá continuidade a este processo de formação e amadurecimento da fé. Diante desta leitura saudamos e felicitamos o nosso grande e eterno assessor Antônio Murilo por ter cumprido com sua missão a frente da Comissão Nacional de Assessores da PJMP. Na 13ª ANPJMP em Senhor do Bonfim – BA, Murilo mostrou nos olhos, ora preocupados com as problemáticas apresentadas nos trabalhos, ora satisfeitos com os resultados das plenárias, o seu imenso amor pela PJMP. Em suas intervenções mostrava seu preparo pedagógico, todavia não ofuscava o protagonismo jovem, demonstrava assim, grande respeito e confiança na capacidade de cada jovem ali presente. Obrigado Murilo você nos estimulou a articular e tornar realidade hoje a PJMP na periferia de Manaus.

 Quando Alberto chegou à nossa Área Missionária trouxe em sua bagagem toda uma vida de luta e uma longa caminhada de PJMP, e a esta fez bem mais que nos apresentar, nos oportunizou conhecê-la nos encontros nacionais. É como ele sempre diz: “prática – teoria – prática”.

 Desde o inicio a assessoria era uma de nossas principais preocupações, pois houve uma rápida adesão de vários jovens, algo que não esperávamos; então logo precisaríamos de um bom grupo de assessores, de um acompanhamento presente, para eliminar nosso maior medo que era de formar uma pastoral pelega, uma pastoral que não fosse a PJMP.

 Infelizmente no meio do ano tivemos uma quebra significativa com a ida da JÔ, a mais presente e atuante, para outro estado. O companheiro Alberto sempre foi muito ocupado e com o acidente e posteriormente a cirurgia no joelho em 2007, ficou mais distante, enquanto os demais assessores não tinham o preparo e conhecimento básico sobre a linha da PJMP. Enfim, passamos por um inicio de crise com desentendimentos ideológicos e comportamentos contrários à caminhada nacional da pastoral, grupos se desarticularam devido à falta de acompanhamento, o que graças a Deus e a nossa persistência estamos neste inicio de ano contornando. Talvez vivenciamos hoje nosso melhor momento pastoral.

 Queremos dizer com esse testemunho que não se constitui grupos firmes de PJMP sem a presença, ao menos no inicio, da assessoria. Do contrario corremos o perigo de aos poucos perder a identidade libertadora da PJMP.

 Com relação à indicação de Alberto à frente da Comissão nacional de Assessores, ainda não sabemos como vai ficar, até porque não tivemos a oportunidade de uma conversa no coletivo a cerca deste assunto devido à sobrecarga de atividades. Em nossa 2ª Assembléia de Planejamento refletimos sobre a aceitação de Alberto a frente da CNA; concluímos que a caminhada necessita de sua experiência e de seu grande amor pela juventude, e no que depender de nós faremos o possível para incentivá-lo e apóia-lo nesta trajetória, bem como nos orgulha muito e é de nossa total aprovação a indicação da Ir. Jô, desta esperamos apenas um “sim”, pois é dedicada e tem um imenso amor pela PJMP.

 Jackson Senna.

 

************************************************************************************************************************