A Organização da PJMP

Sem articulação entre si nos diferentes níveis da Igreja, os grupos de jovens se fechariam numa visão parcial e limitada. Esta articulação permite: o intercâmbio de experiências, com discussões que levam à sistematização destas e de reflexões com outros grupos; a preservação da memória histórica; e a manutenção da fidelidade à ação evangelizadora e ao sentido de Igreja. Por isso, é necessário que os jovens de uma paróquia, das paróquias da mesma área, as áreas de uma mesma diocese, das dioceses de um mesmo regional e os regionais de um mesmo bloco do País e do próprio Continente..., se articulem entre si, para que a Pastoral da Juventude realize organicamente sua missão evangelizadora.

A Pastoral da Juventude do Meio Popular só pode ser verdadeiramente pastoral à medida que estiver articulada com a pastoral de conjunto, enraizada nas igrejas locais, onde assuma os desafios próprios delas. No trabalho pastoral, os bispos, os padres, religiosos e religiosas exercem serviço de unidade e comunhão. Por isso, é necessário manter estreito e verdadeiro diálogo de interpretação com os vários serviços pastorais. Este diálogo é que permite o sábio confronto, a participação aberta e o planejamento que promove a participação co-responsável de todos nas decisões, na tarefa e na avaliação.

MODELO E FORMAS DE ORGANIZAÇÃO

Tendo em vista a sociedade dividida em classes, a Pastoral da Juventude do Meio Popular é um modelo de pastoral situado dentro da classe popular com diversas formas de organização por meios específicos para contribuir na transformação da sociedade, à luz do Projeto de Deus, revelado e vivenciado por Jesus Cristo. Entre as várias formas de organização da PJMP salientamos:

  1. A organização dos jovens das classes populares, formada por iniciantes e militantes no meio rural e/ou urbano.
  2. A organização dos jovens das classes populares, formada apenas por militantes no meio rural e/ou urbano.

COORDENAÇÃO

Uma boa organização pressupõe a formação de coordenações para acompanhar de perto os grupos base. A pastoral orgânica da Igreja é o trabalho estruturado, harmonioso, integrador, que a Igreja vai fazendo para os jovens, com os jovens e dentro da perspectiva dos jovens a fim de que eles se realizem pessoalmente, participem do desenvolvimento e do crescimento da comunidade e ponham em prática sua missão transformadora na sociedade. Uma boa coordenação surge quando existem grupos de base que descobrem a necessidade de se articularem entre si. Uma coordenação só funciona bem quando seus membros:

  • têm algum trabalho de base;
  • sabem como trabalhar com os jovens;
  • estão unidos a um grupo em que revejam sua prática à luz da fé.

Geralmente, os grupos de base dão origem à coordenações paroquiais, estas coordenações a nível de área, diocesanas e regionais, e estas, por sua vez, à coordenações nacionais.

ORGANIZAÇÃO PAROQUIAL

A paróquia deve estar atenta à formação dos jovens e deve funcionar como centro da animação e da coordenação de suas atividades. Deve ajudar a integrar a Pastoral da Juventude à pastoral de conjunto, mediante a prática da participação da base: os jovens têm que estar representados e participar das reuniões do Conselho Pastoral e levar a voz da juventude ao caminho geral de toda a paróquia. Quando dentro de uma mesma paróquia, existem vários grupos de jovens, é conveniente criar urna coordenação paroquial integrada pelos coordenadores que representam todos estes grupos. Esta equipe deve ter momentos de expressão de sua espiritualidade, pensar e elaborar sua ação tendo em vista a dimensão da formação da juventude. Suas funções são:

  • Planejar, assessorar e animar os esforços dos Jovens;
  • Animar toda a comunidade paroquial para que ela assuma sua responsabilidade na Pastoral da Juventude;
  • Sensibilizar todos os jovens para assumirem e testemunharem o serviço em beneficio da comunidade;
  • Buscar, propiciar e utilizar todos os meios de formação para os Jovens;
  • Motivar continuamente os Jovens para que assumam o seu compromisso transformador da realidade.

ORGANIZAÇÃO ARQUIDIOCESANA / DIOCESANA

A PJ deve estar aberta à pastoral diocesana e nela inserida. Por isso, em cada diocese, deve existir uma coordenação (comissão) da Pastoral da juventude que seja instrumento de reflexão, planejamento, execução e avaliação do desenvolvimento orgânico da PJ, bem como coordenador de todas as expressões que se manifestam na diocese. A equipe diocesana deve ser formada por pelo menos um representante da igreja local (sacerdote, religioso ou leigo) e por jovens representantes dos grupos de base. Esta articulação favorece a existência de uma só pastoral da juventude como expressão do esforço evangelizador da juventude desta Igreja particular. A equipe deve estar impregnada de forte espírito de serviço, ter visão clara da realidade diocesana e ser formada por pessoas capazes de criar comunhão e participação. Suas funções principais são:

  • Oferecer apoio, orientação e acompanhamento às coordenações paroquiais existentes, e promover a criação de outras novas;
  • Manter comunicação direta com a pastoral de conjunto e com o Organismo Episcopal da juventude em nível nacional, levando a voz da diocese e fazendo chegar a esta a coordenação e a ação pastoral determinada para estes níveis.

ORGANIZAÇÃO NACIONAL

A PJMP deve ter uma comissão nacional com respaldo das bases para poder tomar todas decisões necessárias. Esta comissão deve ser formada por um representante jovem de cada bloco e o assessor nacional. De acordo com as necessidades, a comissão deve realizar reuniões ampliadas. Suas funções principais são:

  • Articular as experiências da PJMP e ajudar na organização;
  • Encaminhar os encontros nacionais;
  • Articular-se com outras pastorais;
  • Contribuir na articulação dos blocos desarticulados;
  • Ser urna referência nacional da PJMP;
  • Recolher os encaminhamentos saídos dos encontros e discutidos nos regionais e incentivar o debate;
  • Encaminhar subsídios que retratem a caminhada da PJMP para os regionais;
  • Proporcionar cursos de formação para assessores e militantes da PJMP a nível nacional;
  • Organizar uma secretaria nacional com as seguintes funções: ponto de referência nacional; arquivo de documentos nacionais; e centro de distribuição de materiais dos blocos e regionais.

ORGANIZAÇÃO LATINO-AMERICANA

Considerando-se que o Continente Latino-americano tem problemáticas mais ou menos comuns, assim como também são comuns seus anseios e esperanças, urge fazer crescer urna coordenação Latino-americana nas principais linhas do trabalho pastoral. Esta coordenação é possível através da Seção de Juventude (SEJ) do Conselho Episcopal Latino-Americano (CELAM). A nossa articulação e organização são preocupações e desafios tanto para os assessores como para os integrantes de cada grupo de jovens engajados na nossa paróquia, área pastoral, diocese, regional e nacional. O dinamismo, que é característica forte da PJ, faz com que nós ultrapassemos as fronteiras do Brasil, marcando presença significativa em eventos e na organização latino-americana. Nós da PJMP, acreditamos ser de grande importância o contato com outras pastorais para troca de experiências, cooperação e realização de atividades, desde que não nos descaracterizemos como jovens do meio popular, onde temos um jeito de SER, de FAZER e de CRER. Avante companheiros!!!

 

CNPJMP - COMISSÃO NACIONAL DA PJMP

A PJMP deve ter uma comissão nacional com respaldo das bases para poder tomar todas decisões necessárias. Esta comissão deve ser formada por um representante jovem de cada bloco e o assessor nacional. De acordo com as necessidades, a comissão deve realizar reuniões ampliadas.

Suas funções principais são:

* Articular as experiências da PJMP e ajudar na organização;
* Encaminhar os encontros nacionais;
* Articular-se com outras pastorais;
* Contribuir na articulação dos blocos desarticulados;
* Ser urna referência nacional da PJMP;
* Recolher os encaminhamentos saídos dos encontros e discutidos nos regionais e incentivar o debate;
* Encaminhar subsídios que retratem a caminhada da PJMP para os regionais;
* Proporcionar cursos de formação para assessores e militantes da PJMP a nível nacional;
* Organizar uma secretaria nacional com as seguintes funções: ponto de referência nacional; arquivo de documentos nacionais; e centro de distribuição de materiais dos blocos e regionais.

Atualmente, a CNPJMP é composta pelos seguintes membros:

(LISTA ATUALIZADA EM 25 DE AGOSTO DE 2016)

 

CNAPJMP - COMISSÃO NACIONAL DE ASSESSORES

Esta comissão é formada por jovens da PJMP comprometidos com a pastoral ao longo dos anos e que querem dar sua contribuição para que os militantes da Pastoral da Juventude do Meio Popular, jovens empobrecidos, sejam agentes de transformação no atual momento histórico, sempre na fidelidade à prática libertadora de Jesus Cristo, ajudando na transformação da Igreja na medida em que se propõe a questionar o modelo de Igreja e ao mesmo tempo, apresentar a vivência de um modelo comprometido com os empobrecidos.

Neste sentido a Pastoral da Juventude do Meio Popular recusa a "Igreja hierarquia", a Igreja que quer calar os profetas, a Igreja que se omite ante aos clamores do Povo de Deus que sofre, a mesma Igreja que foi cúmplice do massacre dos povos da América Latina. Mas, ao mesmo tempo que recusa esta Igreja, a PJMP acredita na Igreja que se renova através da "OPÇÃO PELOS POBRES". Acredita nas Comunidades Eclesiais de Base, alicerce para a construção da nova Igreja e do Reino. Acredita na Igreja que vive e sofre solidária com a dor da opressão dos pobres e mais humildes do nosso continente. Por isso, como Jesus, comprometida com seu povo e com o evangelho de Deus.

A seguir estão os nomes dos atuais assessores nacionais da PJMP:

(LISTA ATUALIZADA EM 25 DE AGOSTO DE 2016)

 

SECRETARIA NACIONAL DA PJMP

O cargo de secretário(a) nacional da PJMP é preenchido por um(a) jovem militante da PJMP em eleição realizada durante a Assembléia Nacional, e este(a) jovem precisa preencher os seguintes requisitos e realizar as seguintes funções:

  1. Ter no mínimo 18 anos de idade e no máximo 29 anos de idade (obs.: até que se complete 30 anos a troca deverá ser realizada independente do tempo ou de Assembleia Nacional);
  2. Deve ter experiência de no mínimo 01 ano na Coordenação Nacional;
  3. Possua no mínimo 5 anos de caminhada dentro da PJMP acompanhando os processos de grupos de base, coordenação paroquial / diocesana / arquidiocesana;
  4. Tenha disponibilidade para dedicar-se e participar nas reuniões nacionais da PJMP, das pastorais de juventude e de outros movimentos ou pastorais parceiras e também da coordenação nacional da pastoral juvenil da Comissão Episcopal para a Juventude (CEPJ) da CNBB.
  5. Representar a PJMP do Brasil devendo priorizar o nacional e de representar a pastoral tanto dentro quanto fora da Igreja;
  6. Atuar como articulador nacional da PJMP, desenvolvendo a função de missionário no meio popular;
  7. Responder oficialmente pela pastoral;
  8. Ter facilidade de diálogo dentro das estruturas da Igreja e fora dela.

Atualmente a Secretaria Nacional da PJMP é assumida por WELLINGTON NETO DA SILVA - ALAGOAS - pjmpsecretaria@gmail.comwnetosilva@gmail.com